Gibis, tokusatsus, cinema e cultura pop em geral
 
InícioInício  Blog  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Olha esse documento

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Kamen Rider
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1528
Data de inscrição : 19/09/2010

MensagemAssunto: Olha esse documento   Sex 27 Abr - 17:38

Todo mundo desconfiava, mas o roteirista Grant Morrison resolveu escancarar. Em entrevista à edição de abril da Playboy americana, Morrison resolveu tirar o Batman do armário e dizer que o personagem que defende Gotham City é gay.

"Obviamente, como personagem fictício, Batman está destinado a ser heterossexual, mas a base de seu conceito é totalmente gay. E acho que é por isso que as pessoas gostam dele. Muitas mulheres avançam sobre Batman, pulando telhados com roupas fetichistas atrás dele. Mas ele nem liga — está mais interessado em sair com seu parceiro", disse Morrison.

No entanto, outro ponto da personalidade de Batman atraiu Morrison a escrever as histórias do homem-morcego: a luta em favor dos pobres. "Eu me interessei pela questão de classe do herói: ele é um homem rico que luta pelos pobres. É uma missão muito bizarra a de sair à noite vestido de morcego, mandar os junkies para o inferno e depois voltar para a sua mansão", afirma.

_________________
"Quando ouço falar da cultura brasileira, já saco meu rolo de papel higiênico"

Olavo de Carvalho.


Compre aqui sua camiseta de tokusatsu

http://www.vitrinepix.com.br/clockup
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://clock-up.forum-livre.com
Mohamed
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1077
Data de inscrição : 19/09/2010
Idade : 42
Localização : Centro da Terra

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Sab 28 Abr - 13:36

Na verdade, grant Morrison que é gay.
Batman teve várias namoradas, Vick Vale, Mulher Gato, deu um neto pro Rans a gul....

Lucke Luck, o cowboy nao flertava com mulher, porque seu autor achava que isso era sexista pra crianças, mas o cowboy fuma que nem um condenado.
Na época, alusão a sexo era errado, mas fumar podia.

O mesmo aconteceu com Batman. Na era de ouro o herói nao podia ser comedor.
Depois de " A sedução do Inocente", o Batman começou a aparecer mais com mulher.

Acho que a questão é bem mais simples.
As pessoas se identificam com o Batman por vários motivos.
Quem for gay pode achar algo de gay no Batman.

Personagens gays são o Apolo e o midnite que dão beijo na boca e dormem juntos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.formspring.me/Moh4med
Mohamed
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1077
Data de inscrição : 19/09/2010
Idade : 42
Localização : Centro da Terra

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Qui 7 Jun - 23:02

A DC informou que o Lanterna Verde da era de ouro, Alan Scot, vai virar gay.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.formspring.me/Moh4med
Kamen Rider
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1528
Data de inscrição : 19/09/2010

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Qui 7 Jun - 23:59

Citação :
A derrota dos super-heróis - Ou porque não precisamos de heróis gays

Você já deve saber que a Marvel promove este mês o "casamento" gay entre Estrela Polar e o seu namorado Kyle. A DC respondeu transformando o primeiro Lanterna Verde, Alan Scott, em homosexual. Com uma apelação desse nível, as editoras conseguiram atenção da mídia não especializada em quadrinhos e as revistas provavelmente vão vender mais do que a média. Missão cumprida?

A justificativa absurda é que essas atitudes "refletem a realidade" do mundo atual, então os super-heróis supostamente deveriam incluir uma "diversidade".

Não apoio esse tipo de atitude. Primeiro porque é um engodo, o objetivo é obviamente comercial, mas principalmente porque isso é uma distorção do conceito de super-herói e mais um passo rumo a sua derrocada. Vamos esclarecer a questão.

Qual foi a reação da mídia?

Os articulistas receberam a notícia com alegria, a maioria comemorou e repetiu os velhos clichês do politicamente correto de diversidade e blá blá blá. Ninguém teve a coragem de criticar essa aberração. Chegamos ao ponto de ter gente comparando a situação dos gays de hoje com aquela que os negros passaram. Supostamente os gays deveriam ser representados nos gibis porque são discriminados como os negros eram até uns cinquenta anos atrás. Essa representação positiva dos gays ajudaria a acabar com a discriminação deles.

Que grande bobagem! Gay não é raça, comparar gays a negros é uma ofensa ao movimento dos direitos civis americanos e a Martin Luther King, que era cristão, e mesmo uma ofensa a muitos negros, que são cristãos.

Outra coisa repetida foi que essas histórias refletem a realidade, gays existem em todo lugar e por isso devem estar entre os super-heróis.

Na minha visão isso não reflete realidade nenhuma, os gays são minoria e os super-heróis não tratam da realidade, são histórias de fantasia sem compromisso com o real. Que elas refletem a conjuntura de uma época é verdade, muitos momentos históricos se projetaram naturalmente nos quadrinhos, a Segunda Guerra Mundial, a Guerra Fria, etc. Mas isso ocorreu naturalmente, não através de jogadas de marketing primitivo. Além disso, os quadrinhos não tem essa obrigação, se eles espontaneamente mostram questões do nosso tempo, como qualquer forma de comunicação, os autores não precisam forçar o processo.

E de todo jeito, nosso mundo não tem essa inclinação que se pretende representar como sendo a atual realidade. Aqui e alí, em alguns países com governos progressistas, a questão dos gays vem sendo imposta como pauta de discussão, isso é um plano político e não um fenômeno cultural espontâneo. Na verdade, o tal casamento gay da Marvel reflete aquilo que determinadas pessoas e organizações querem que seja a realidade e se destina a manipulação da visão de mundo dos leitores. Esse quadrinho é panfletário, baseia-se em uma ideologia e não em uma realidade.

Outra reação estúpida foi a conformidade, muitos críticos disseram que apenas devemos aceitar tudo isso. Mas, em nome da inteligência, essa é a afirmação mais idiota que existe. Não temos que aceitar nada, quem aceita coisas assim são as ovelhinhas que já foram manipuladas. A maior parte dos leitores é contra e questionou porque a DC não criou um personagem novo em vez de pegar um ícone consagrado da Era de Ouro e transformar em gay?

Se uma HQ se destina exclusivamente a propagação de uma ideologia, é recomendável que não se utilize de personagens consagrados para não deturpar seu conceito. Por exemplo, em Holy Terror, Frank Miller queria fazer a sua propaganda antiterrorista. Primeiro ele cogitou o uso do Batman, mas Batman não mata e portanto não poderia protagonizar a história. Miller criou The Fixer, um novo personagem, e transmitiu sua mensagem.

Nas redes sociais, até os gays estão reclamando da atitude das duas grandes editoras e classificando essas ações como algo forçado e sem razão.

Quais os motivos dessa apelação?

Quadrinhos vendem cada vez menos, ultimamente os escritores e artistas parecem ter esgotado sua fonte criativa. A concorrência de outras mídias colaborou pra derrocada dessa indústria. Uma das atitudes mais comuns hoje é apelar para grandes eventos que vão chamar atenção da grande mídia e trazer leitores ocasionais. Isso levanta as vendas por alguns meses e dá uma sobrevida aos gibis. Este evento apelativo em parte se destina a isso.

Outra razão é a decadência do conceito de super-herói. Nos anos cinquenta, após a Era de Ouro, eles começaram a ser satirizados na revista Mad, essa sátira acabou se tornando uma expressão pessoal nos anos oitenta em HQs como Watchmen, etc. Hoje é um gênero. A tal "desconstrução" do arquétipo do super-herói virou uma obssessão de determinados autores. Nunca mais se viu o herói clássico, a não ser em revivals, como o excelente Tom Strong. A ideia de que as histórias de super-heróis devem ser supostamente realistas, apesar de ter rendido grandes obras, virou um gigantesco obstáculo para a criatividade pura.

Então chegamos a uma época em que prevalece a confusão. Os super-heróis não são mais figuras idealizadas e expressões de ideias de superação, a importância maior nem mais reside nos personagens icônicos, o foco se transferiu para a interpretação feita pelos autores ou a necessidade desesperada de vendas. Perdeu-se o sentido da existência desses personagens e hoje vale tudo pra vender mais alguns gibis. Recrutar artistas com traço muito diferente do usual, escritores que põe os personagens em situações constrangedoras e relativizam a ideia de conflito do bem contra o mal, apelar para a sexualidade explícita, violência sem sentido, grandes eventos como mortes e retornos ou qualquer coisa que chame a atenção. É uma situação realmente desesperadora.

As editoras não hesitam em pegar personagens de quinta categoria e trazê-los para a capa, como esses Estrela Polar e Kyle. Os personagens já não tem importância nenhuma, o que importa é o evento, o que importa é a suposta caricatura de realidade que dê a justificativa pra existência de super-heróis. Os leitores mais velhos também tem sua parte de culpa, eles esperam histórias mais "adultas" ou que tragam alguma relação com a sua realidade pessoal. Eles querem justificar para sí mesmos e para a sociedade o fato de não terem mudado seus hábitos de leitura desde a infância. O mercado segue a demanda, o mercado está desesperado, porém isso não resolve o problema da indústria de quadrinhos, pelo contrário, é um agravante.

Quais as consequencias?

Organizações conservadoras dos EUA reclamaram que estes eventos podem influenciar as crianças a se tornarem homosexuais pela imitação dos personagens dos gibis. O argumento foi rebatido com a falsa ideia de que crianças não imitam gibis, que os gibis não são mais lidos por crianças, mas sim por adultos com uma sexualidade formada, ou mesmo com a ideia absurda de que isso seria uma boa influência e tornaria as crianças mais tolerantes á tal "diversidade".

É óbvio que crianças imitam os personagens de filmes, gibis e qualquer produto que elas consomem pra se divertir. Nós crescemos colocando a toalha na costa e pulando do sofá pra imitar Superman, usávamos qualquer coisa parecida com uma espada pra imitar Conan e todo mundo sonhava ser o Batman. As crianças imitam cantores que veem na TV, dançarinos, video games e tudo que é importante pra elas.

Crianças que vierem a ler esses gibis podem imitá-lo. Não só elas, mas adolescentes também. Não são somente crianças que se deixam influenciar. Adolescentes copiam seus ídolos do rock e da música em geral, artistas de cinema, novelas, esportistas, e muitos adultos fazem o mesmo. Já viu quantas pessoas estão usando moicano por causa daquele jogador de futebol? E quantos começaram a fumar vendo filmes? Os mais velhos sabem disso. Quantos começam a beber e usar drogas influenciados por filmes e bandas de rock? Eu mesmo lembro que quando criança e mais tarde como adulto, já fui influenciado!

Mesmo que os leitores estejam na faixa etária entre 25 e 35 anos, eles podem ser influenciados também. Hoje se comenta que as pessoas não passam da adolescência, não amadurecem. Eu mesmo acho que minha adolescência foi até os 25 anos! Nós vivemos em uma sociedade que privilegia a juventude e uma posição infantil perante a vida. Muitas pessoas chegam aos 35, até mais, e não tem uma personalidade formada, e até mesmo, são sexualmente indecisas ou influenciáveis. Todos somos influenciáveis.

Se fazem essas campanhas pra supostamente incluir minorias é porque eles sabem que o público vai ser influenciado, se não eles não fariam. Estude o behaviorismo que você vai entender o reflexo condicionado. A associação contínua de homosexuais á figuras de poder e sucesso, como os super-heróis, não nos leva a aceitação deles, mas pode levar a uma atração por esse estilo de vida. E esse pode ser o objetivo, como James Robinson, o escritor do Alan Scott gay afirmou: "I hope he’s a positive figure. If there’s some kind of kid out there who’s reading the comic and who’s worried about the person he is, maybe it will give him a positive sense of who he is."

Agora voltando a outra consequencia, que é a distorção do conceito de super-herói. Super-heróis não são representantes de minorias políticas ou classes, eles são representações da superação individual em uma sociedade livre em que o homem é capaz de lutar pela liberdade, pelo bem e pela felicidade. Por isso eles se desenvolveram nos EUA, um país em que este valores são cultivados (ou pelo menos eram). É disso que trata o Homem-Aranha, os X-Men e Superman. Os super-heróis não tem sexualidade ou raça, eles tem ideais. Tire isso e você tem um ser bizarro com uma roupa estranha e a história é uma festa a fantasia com brigas. Nós conhecemos um montão dessas histórias hoje. Histórias ruins.

Nós não precisamos que os super-heróis sejam fisicamente, sexualmente ou socialmente parecidos conosco. Muitos podem argumentar que o sucesso de determinados personagens ocorre devido a essa identificação direta. Já pensei assim, mas hoje acho que não há nada mais equivocado.

Quantas pessoas são fãs do Homem-Aranha sem ter nada de parecido com Peter Parker? Quantos se indentificam com Tex sem ter nada de cowboy matador? Quantos são afinados com John Constantine sem mexer com a ciência das trevas? E o montão de gente que adora Batman sem ser um bilionário enlouquecido pela morte dos pais? E Hulk, um cientista com dupla personalidade? Superman, um alienígena?

O que nos faz criar identificação com os super-heróis não é a sexualidade, a cor da pele ou a situação social. Personagens gays não vão atrair novos leitores, os gays que já leem HQs (e eu conheço vários) não vão comprar mais gibis. Era de se esperar que os autores de quadrinhos soubessem disso mais do que ninguém. A qualidade do entretenimento não se define por questões tão óbvias e superficiais. Mas hoje parece que os quadrinhos não se destinam mais a entreter, mas a concorrer a prêmios de direitos humanos.

Por que tudo isso é uma farsa?

Quando a DC apelou mostrando a personagem Estelar convidando um cara pra fazer sexo do nada e quando mostrou Batman e Mulher-Gato trepando no telhado sem mais nem menos em histórias muito ruins, todo mundo reclamou. Quando mostraram o bebê explodindo e pessoas sendo esquartejadas todo mundo reclamou. Porque isso tudo é apelação. Mostrar gays casando e se beijando ou toda essas coisas que eu falei porque "existem na realidade", com o pretexto de educar crianças, é uma apelação absurda. Isto diminui o valor dos quadrinhos como arte e os transforma em um produto de baixa qualidade, subestima a inteligência do leitor e pode se transformar facilmente em uma influência negativa. A consequencia mais grave é o deboche. Antes esse material era o tipo de leitura estigmatizado como infantil. Hoje ele corre o risco de passar a ser visto como uma expressão do ridículo, do puro mau gosto, como os programas de auditório da TV aberta que mostram "a vida como ela é". Essa não é uma perspectiva animadora.

Não critico gays, só acho que determinadas coisas não devem ser exploradas só pra gerar renda, com a desculpa do politicamente correto. Todo mundo sabe que Marvel e DC Comics tem apelado com sexo e violência pra tentar vender gibis. Sexo e violência existem na realidade, gays existem na realidade, mas vir com a desculpa de que isso deve ser explorado como uma forma de seguir as mudanças da sociedade não procede. Explorar isso pra vender é de mau gosto e desrespeitoso. Usar quadrinhos pra propagandear ideologias é desonesto.

Dizer que isso é um reflexo da evolução da sociedade também carece de razão. A sociedade nem sempre evolui, ela pode involuir. Muitas grandes sociedades entraram em decadência quando seus valores primais foram desprezados e substituídos por novos. O conservadorismo não visa impedir o avanço das mudanças, mas selecionar quais mudanças devem ser feitas e como devemos executá-las. Muitas mudanças não são positivas e não devemos propagandea-las em gibis.

O psiquiatra esquerdista Frederick Wertham criou em 1954 o mito de que Batman é gay. Wertham acreditava que os quadrinhos deveriam ser usados na educação e naquela época o homosexualismo era visto como uma doença e problema social. Portanto, ele alertou que Batman era homosexual e isso seria uma má influencia pros jovens leitores de quadrinhos. Os gibis de terror incentivariam a delinquencia juvenil. Em parte Wertham estava certo, os gibis realmente influenciam, mas sua lógica era desonesta. O que ele realmente pretendia era que essa influência fosse aproveitada de uma maneira positiva, na sua visão, claro. Todo mundo sabe que suas ações geraram o Comics Code, e os quadrinhos se tornaram mais politicamente corretos, dentro dos moldes dos anos 1950, nada de violência e sexo.

Mas a visão de Wertham sobre os quadrinhos aparentemente prevaleceu, porque ele defendia essa mídia como um instrumento pra moldar a sociedade. Na época atual o conceito de politicamente correto mudou e as pessoas passaram a aceitar o homosexualismo. E o que fazem hoje? Alegam que podem usar quadrinhos pra fazer com que crianças aceitem esse comportamento, que sejam tolerantes ou adiram a ele. Ou seja, o grande ideal de Frederick Wertham prevaleceu, os quadrinhos estão sendo usados como um instrumento de manipulação social. Quem for capaz de entender, entenda. A questão não é tolerância nem diversidade nem adaptação a atualidade, é propaganda.

Concluindo:

Gays se casando seria motivo de discussão nos EUA e até aqui no Brasil, seria um tema que traria mais substância pras HQs. Mas analisando o impacto social que essas discussões realmente despertam e a relação delas com o conceito original de super-heróis, chegamos a conclusão que a presença desse tema em HQs é desnecessário e inadequado.

Vinte anos atrás as revistas de quadrinhos vendiam aos milhões e hoje não chegam a cem mil. Todo mundo sabe que estamos a beira do colapso e as editoras estão desesperadas. Os fãs antigos, os poucos que sobraram, também veem sua maior diversão decair. Os autores não usam mais a criatividade e a inteligência pra fazer as histórias (como faz falta um Jack Kirby!) perdem-se em ideologias, problemas pessoais, complexos psicológicos que são expressão do seu eu e não cabem nos personagens. Para vender, os editores apelam com polêmicas baratas.

Entre as soluções buscadas estão esse suposto progressismo de refletir uma realidade pós-moderna em mutação. O grande erro disso tudo é que o conceito de super-heróis tem em sua raíz uma força conservadora. Os heróis atuam pra manter os valores da sociedade atual, não para transformá-los. Eles não querem destruir ou modificar ou se adaptar as mudanças no "sistema", eles fazem parte da manuntenção dele. Todas as revisões desse conceito devem ser brandas e acompanhar a tendência conservadora, a não ser que sejam sátiras.

Desde Watchmen até Authority e chegando a Pro ou The Boys nós temos sátiras a esse conservadorismo. Querem experimentar, utilizem as realidades alternativas, os selos adultos. Esses elementos de sátira não podem se tornar a regra, os super-heróis não podem se tornar caricaturas de sí mesmos. Heróis que relativizam bem e mal ou que acompanham tendências progressistas da sociedade não são mais super-heróis, eles são qualquer coisa entre o anti-herói e o vilão. Eles colaboram para enfraquecer o arquétipo do herói junto ao grande público e esse é um dos motivos das baixas vendas. A renovação da sociedade cabe aos vilões, não aos heróis.

O arquétipo clássico dos super-heróis, o conservador, é bem expresso no filme dos Vingadores, um absoluto sucesso mundial. Querem as editoras de quadrinhos se manter no mercado, sigam aquele modelo. Vir com apelações esdrúxulas não vai salvar os super-heróis, vai fazer com que eles se tornem motivo de deboche, como são hoje as histórias de vampiro, após o fenômeno Crepúsculo.

Como reagir a mais este erro das editoras de quadrinhos? A solução é o boicote, e é isso que está acontecendo. Onde estão as milhões de pessoas que liam quadrinhos antigamente? Não evaporaram todas, elas estão aí, mas estão de saco cheio de toda essa baboseira que vem sendo feita e preferem as histórias antigas em que você se divertia sem se preocupar se o herói era gay, negro ou qualquer coisa, onde a criatividade e imaginação imperava e não era obrigatório e forçosamente óbvio refletir a realidade pretendida por grupos políticos. Aquilo era uma boa história em quadrinhos, como todo mundo diz, era a diversão que elevava nossa infância.

As editoras de quadrinhos deveriam recuperar esse maravilhoso período, deixando de lado a satisfação de egos doentios e o interesses desonestos de políticos e comerciantes. Isso poderia salvar os super-heróis da derrota final.
http://caixadegibis.blogspot.com.br/2012/06/derrota-dos-super-herois-ou-porque-nao.html

Citação :
EXCLUSIVO! Lanterna Verde gay prejudica indústria de brinquedos!

Ok, eu não sou o Rich Johnston, do Bleeding Cool, mas tenho minhas fontes. Uma delas me revelou aquilo que pode ser um dos primeiros efeitos negativos do mais recente golpe de marketing da DC Comics.

Como sabemos, o primeiro Lanterna Verde, Allan Scott, foi transformado em gay, eu já escrevi sobre isso aqui, no post mais polêmico do blog. Como eu afirmei, mesmo que essa atitude da editora aumentasse as vendas de gibis por alguns meses, isso também poderia gerar diversos efeitos negativos. O primeiro foi notado logo de cara, a zombaria. Nas redes sociais muitas pessoas estão fazendo piadas com quadrinhos. Mas existe coisa pior, gerada pela ignorância, porém inevitável.

A atitude da DC foi amplamente noticiada nos meios de comunicação que usualmente não falam sobre quadrinhos. A maior parte deles, inclusive o programa Fantástico da Rede Globo, noticiou que "O Lanterna Verde será gay", mas sem mencionar que é UM Lanterna Verde, UM entre várias versões que existem. E pra piorar, mostraram imagens do filme recente.

Então agora, a imensa maioria do público, que não conhece nada sobre HQs, acha que O Lanterna Verde é gay e ponto. Em que isso poderia ser prejudicial?

Recebi, de uma fonte confiável, informações exclusivas sobre os efeitos devastadores que o Lanterna Verde gay já está causando á indústria de brinquedos licenciados. Uma pessoa que trabalha no ramo registrou em e-mail interno o quanto os consumidores e distribuidores estão reagindo mal ao fato. As vendas já estão sendo canceladas, boicotadas, e eles vão ter prejuízos. Leia o texto abaixo:


"Como todos aqui já sabem, o personagem gay da DC é um lanterna verde das antigas mesmo, fora da cronologia nova, que faz parte até de outra terra (jogada de mkt total, fizeram um Xuxa alarde pra homossexualizar um personagem terciário).. mas, enfim..


Tenho alguns amigos que trabalham com licenciamento, produtos licenciados e tal e já estão sofrendo com essa notícia...

O que acontece é que a gente que lê e conhece quadrinhos consegue diferenciar, mas para o público em geral, a informação é “O LANTERNA VERDE É GAY”. Ou vocês acham que quem só assistiu o péssimo filme com o Ryan Reynolds sabe diferenciar o que é a Terra Ativa da Terra Paralela (se é que ainda é assim, depois da reformulação dos 52).

Muitos clientes já entraram em contato com essas empresas avisando que vão boicotar os produtos e estão devolvendo.. hahaah

Lógico, que para colaborar ainda mais, estou incentivando a todos a entrar em contato com a Warner e renegociar o contrato ou até mesmo reinscidi-lo, hahaahah

Não é o mesmo Lanterna Verde, mas quem vai diferenciar isso lá fora?


Aqui na empresa mesmo, já orientei as compradoras e deram um breque nas compras de LV. Não é o mesmo persona, mas quem diferencia isso lá fora?"



Aqui está a confirmação dos efeitos negativos da atitude da DC. Um golpe de marketing mal feito que desagradou a maioria dos leitores, e por ter sido muito mal apresentado na mídia, naturalmente, queimou o filme da marca Lanterna Verde junto ao grande público!

Não poderiamos esperar que as pessoas que não leem quadrinhos e os próprios jornalistas da grande mídia tivessem o conhecimento sobre a mitologia dos Lanternas. Se as crianças não vão comprar os brinquedos, também não vão comprar todos os outros produtos e os quadrinhos do Lanterna não vão se sustentar.

A HQs atualmente se destinam muito mais a gerar merchandising. A Warner, que controla a DC, já estaria pedindo desculpas a clientes. A Marvel, por sua vez, pode não perder tanto, Estrela Polar e Kyle, que protagonozam o casamento gay da editora, são personagens tão insignificantes que nem tem produtos licenciados. A não ser que o grande público comece a associar todos os X-Men com essa onda gay.

As duas grandes editoras não deveriam rever suas ações para evitar grandes prejuízos pela fuga de clientes? Em vez de investir em golpes de marketing barato, não deveriam respeitar mais os seus clientes e os fãs dos personagens?

Agora é colher os prejuízos de mais um vacilo das editoras. Mais uma vez os quadrinhos perdem.
http://caixadegibis.blogspot.com.br/2012/06/exclusivo-lanterna-verde-gay-prejudica.html

_________________
"Quando ouço falar da cultura brasileira, já saco meu rolo de papel higiênico"

Olavo de Carvalho.


Compre aqui sua camiseta de tokusatsu

http://www.vitrinepix.com.br/clockup
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://clock-up.forum-livre.com
Mohamed
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1077
Data de inscrição : 19/09/2010
Idade : 42
Localização : Centro da Terra

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Sex 8 Jun - 13:27

Esse primeiro texto é de uma inteligência espantosa.
Entrei no link mas nao consegui ver o nome do autor desse texto.

Acho estranho, porém, que não usem essa inteligência quando vão escrever sobre Velta.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.formspring.me/Moh4med
Kamen Rider
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1528
Data de inscrição : 19/09/2010

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Sab 9 Jun - 19:54

http://www.bleedingcool.com/forums/front-page-comic-news/59389-brazil-boycott-green-lantern.html

_________________
"Quando ouço falar da cultura brasileira, já saco meu rolo de papel higiênico"

Olavo de Carvalho.


Compre aqui sua camiseta de tokusatsu

http://www.vitrinepix.com.br/clockup
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://clock-up.forum-livre.com
Lorde_Kira
Garanhão Itáliano
avatar

Mensagens : 109
Data de inscrição : 10/09/2011
Idade : 27
Localização : Cidade de Dite

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Ter 19 Jun - 20:55

Alguém leu os comentários do Forum gringo q tava nos links?
Cada dia que passa, concordo mais com o Osama...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kamen Rider
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1528
Data de inscrição : 19/09/2010

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Qua 20 Jun - 21:18

Citação :
Eu fui ofendido e acusado de "homofobia" por ter criticado a onda gay nos quadrinhos de super-heróis. Nenhum outro site teve coragem de se opor a essa péssima jogada de marketing das duas grandes editoras americanas. Acompanhei tudo que se publicou sobre o assunto e notei que as opiniões contrárias foram censuradas, distorcidas ou omitidas. Ao que parece, os sites de quadrinhos não se importam com quadrinhos, querem apenas manter sua reputação com o senso comum e seu prestígio. A verdade não importa.

O site Bleeding Cool publicou um post cujo título se propunha a relatar o boicote aos produtos do Lanterna Verde no Brasil, que eu noticiei com exclusividade aqui. Mas já iniciou o texto chamando meu artigo anterior de "homofóbico". Desqualificando a fonte, a informação não tem valor. A manobra desonesta do Sr Rich Johnston foi mais uma ação no sentido de manipular a opinião dos seus leitores.

Porém, há confirmações de um boicote não anunciado, mas espontâneo, aos produtos Lanterna Verde. Lojas virtuais estão liquidando seu estoque e pelo menos uma loja física brasileira já relatou que, depois da mudança, tem dificuldades de vender esses produtos. Mesmo assim, a "mídia especializada" se recusa a noticiar, com medo de ser taxada de "homofóbica".

Uma das opiniões mais relevantes sobre o assunto foi sumariamente omitida de todos esses sites. Roy Thomas, um dos nomes mais importantes na criação da mitologia de Alan Scott, fez um pronunciamento onde expressou seu extremo desagrado com a mudança no personagem. Os grandes sites de quadrinhos, que supostamente existem pra informar, preferiram ignorar.

Roy Thomas, pra quem não sabe, escreveu e editou histórias do universo da Terra-2 nos anos 1980. Sua paixão era a Sociedade da Justiça, grupo do qual Alan Scott era membro. Ele criou uma base sólida para o personagem, deu-lhe uma esposa, Molly Maine, e os filhos, Jade e Manto Negro.

Roy Thomas

Ele foi questionado por e-mail pelo blog Hombre de Bronze sobre o que achava da transformação de Alan Scott em gay e a eliminação do casamento e dos filhos de sua cronologia. Thomas respondeu:


"Soube disso esta manhã. Não tenho nada contra gays, mas acho que a noção de fazer Alan Scott retroativamente gay (mesmo que seja em uma nova versão da Terra-2, uma ideia odiosa em si mesmo) é ridícula e ofensiva.

É também um tapa na cara de Dann [esposa de Thomas, que também escrevia histórias de Alan Scott], Jerry Ordway [desenhista], Mike Machlan [capista], e eu, que co-criamos os filhos do herói, Jade e Manto Negro ... e, claro, Dann e eu também idealizamos sua relação com Espinho [ vilã da Era de Ouro, mãe dos filhos de Alan Scott] e seu posterior casamento com Arlequim [Molly Maine]. Algo assim enfraquece o potencial valor econômico da nossa criação.

Eu acredito que esta ideia demonstra desprezo por nós e pelos leitores antigos e fieis. E eu acho que devemos devolver o favor. Mas, no final, tudo são apenas palavras e imagens no papel (ou no ciberespaço), e não é mais válido para o Lanterna Verde original criado por Mart Nodell e Bill Finger, do que era a continuidade retroativa que nós fizemos nos anos 1980."


A opinião de Roy Thomas talvez fosse a mais importante de todas nesse caso, mas foi ignorada. Mal teve um link no blog Robot6, do CBR, em uma matéria que, obviamente, elogiava a atitude da DC.

Por que isso acontece? A razão pode estar em um desejo de manipular a sua opinião, fazer você aceitar por não ter condições de discutir o assunto sem conhecer o outro lado, ou mesmo fazer você ter medo de dizer o que pensa para não receber ameaças e ofensas, como eu recebi. Seguir o senso comum é muito mais seguro. Se as pessoas que não concordam não aparecem, é porque elas não existem. Se insistirem em aparecer, como é o caso deste blog, são difamados com acusações terríveis.

A mídia de quadrinhos é como qualquer outra mídia, comprometida com interesses. Não há escrúpulos nem mesmo para ignorar Roy Thomas, um dos maiores nomes dos quadrinhos de todos os tempos. Os grandes nomes hoje só são lembrados quando morrem e duvido que essa mídia narcisista que fala sobre quadrinhos na internet, onde os jornalistas estão mais interessados em se autopromover do que informar, leve em consideração a opinião daqueles que realmente tem algo a dizer, aqueles que trabalharam durante décadas para dar aos quadrinhos o que eles tem de interessante. Esses supostos especialistas em quadrinhos estão mais interessados em angariar prestígio para si e um número enorme de seguidores nas redes sociais. Os quadrinhos? Os quadrinhos não importam.
http://caixadegibis.blogspot.com.br/2012/06/opiniao-de-roy-thomas-sobre-o-alan.html

_________________
"Quando ouço falar da cultura brasileira, já saco meu rolo de papel higiênico"

Olavo de Carvalho.


Compre aqui sua camiseta de tokusatsu

http://www.vitrinepix.com.br/clockup
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://clock-up.forum-livre.com
Mohamed
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1077
Data de inscrição : 19/09/2010
Idade : 42
Localização : Centro da Terra

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Qui 21 Jun - 0:21

Vocês conhecem o mito da caverna ?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.formspring.me/Moh4med
Lorde_Kira
Garanhão Itáliano
avatar

Mensagens : 109
Data de inscrição : 10/09/2011
Idade : 27
Localização : Cidade de Dite

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Sex 22 Jun - 23:24

hoje em dia, tem-se um medo de ser taxado como homofóbico que ao invés de ser "libertador" para o público gay, é mais uma forma de se prender o resto do mundo. Daqui a alguns anos, vai ser errado ser hétero...

Entendo que o público consumidor gay é um dos que mais movimentam o mercado hoje em dia, mas ainda assim, chega a ser ultrajante essa movimentação toda!

PS.: Antes de ser processado, ainda afirmo que não tenho nada contra gays ou qualquer tipo de pessoa(com algumas exceções, mas não estão em questão agora...). Acredito q o que é da pessoa, ela pode dar pra quem quiser^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mohamed
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1077
Data de inscrição : 19/09/2010
Idade : 42
Localização : Centro da Terra

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Sab 23 Jun - 9:49

"Daqui a alguns anos", é ?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.formspring.me/Moh4med
Lorde_Kira
Garanhão Itáliano
avatar

Mensagens : 109
Data de inscrição : 10/09/2011
Idade : 27
Localização : Cidade de Dite

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Sab 23 Jun - 19:22

sim, agente só tá vendo o começo...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Crocodilo
Filho do Sol
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 20/09/2010
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Dom 24 Jun - 16:47

Tão aboiolando até o Cascão Bleh

]




Tenso Dengo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Svarog
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 861
Data de inscrição : 12/10/2010

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Seg 25 Jun - 2:33

A moda é virar viado!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mohamed
Imperador Sécular Gorgom
avatar

Mensagens : 1077
Data de inscrição : 19/09/2010
Idade : 42
Localização : Centro da Terra

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Seg 25 Jun - 10:36

Moda é coisa de viado.....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.formspring.me/Moh4med
Lorde_Kira
Garanhão Itáliano
avatar

Mensagens : 109
Data de inscrição : 10/09/2011
Idade : 27
Localização : Cidade de Dite

MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   Seg 25 Jun - 15:43

eu ia falar algo complexo e construtivo. Mas depois dos últimos comentários esqueci o q era ashausaushaushauhsuhsuhauhsuauaauhsuahsuhsuahsuahsashuasauhsuahsuas
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Olha esse documento   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

Olha esse documento

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Clock Up :: Principal :: Chupa CQB-
criar um fórum | © phpBB | Fórum grátis de ajuda | Fale conosco | Assinalar uma queixa | Fórum grátis